10 de dezembro de 2013

a saudade não é uma utopia


Sim, já pensamos passar uma semana juntos... nestes destinos. 
Possivelmente optaremos apenas por Madrid, numa 1ª escolha.
_______

Quando penso em ti sinto-me flutuar,
sinto-me alcançar as nuvens,
tocar as estrelas, morar no céu...

Tento apenas superar
a imensa saudade que me arrasa o coração,
mas, que vem junto com as doces lembranças do teu ser.

Lembrando dos momentos
em que juntos nosso amor se conjuga
em uma só pessoa, nós ...

É através desse tal sentimento, a saudade,
que sobrevivo quando estou longe de ti.
Ela é o alimento do amor que se encontra distante...

A longa distância apenas serve para unir o nosso amor.
A saudade serve para me dar
a absoluta certeza de que ficaremos para sempre unidos...

Tudo isso acontece porque amo e penso em ti... 


17 comentários:

Marcia disse...

Oi Afectado do quadril!
Já vi pelos seus post que você é um romântico incorrigível!Sorte da capuccino Vermelho.
Então já sabes como surpreendê-la, crocheteando corações para presenteá-la.
Abraços.

O afectado do quadril disse...

Marcia:
Sem duvida, tenho essa qualidade de ser um romântico incorrigível e irei surpreendê-la certamente.

Diana disse...

As saudades são fogo!

A capuccino vermelho disse...

:)

"A maneira de reagir à saudade e à tristeza é ter um coração bom e uma cabeça viva. A saudade e a tristeza não são doenças, ou lapsos, ou intervalos, como se diz nos países do Norte. São verdades, condições, coisas do dia a dia, parecidas com apertar os atacadores dos sapatos. É banalizando-as que as acompanhamos. Um sofrimento não anula outro. Mas acompanha-o. Para isto é preciso inteligência e bondade.
Aquilo que resta são as pequenas alegrias. No contexto de tamanha tristeza e tanta verdade tornam-se grandes, por serem as únicas que há. Não falo nas alegrias que passam, como passam quase todas as paixões.
Falo das alegrias que se tornam rotinas, com que se conta: comprar revistas, jantar ao balcão, dormir junto do mar, dizer disparates, beber de mais, rir. Coisas assim. São essas coisas — entre as quais o amor — que não se podem deitar fora sem, pelo menos, morrer primeiro."
Miguel Esteves Cardoso

Janita disse...

Capuccino

Gosto muito da maioria das Crónicas do MEC, e esta está muito realista. Na verdade, o amor só deveria ser descartado, depois de morto, de não existir!

O Afectado,

Adorei esse texto poético que dedicaste à tua amada, mas a distância que provoca essa saudade constante, pode aumentar o desejo, porém, destrói o coração dos amantes!:(
Uma semanita juntos, em Madrid, iria mitigar muito essa tristeza.
Vão e sejam felizes!:)

Beijinhos.



Janita disse...

"Quero-te para além das coisas justas

e dos dias cheios de grandeza.

A dor não tem significado quando ma roubam as árvores,

as ágatas, as águas.

O meu sol vem de dentro do teu corpo,

a tua voz respira a minha voz.

De quem são os ídolos, as culpas, as vírgulas

dos beijos? Discuto esta noite

apenas o pudor de preferir-te

entre as coisas vivas."


Afectado,

este poema que vos ofereço é da autoria de Joaquim Pessoa, poeta e artista plástico contemporâneo...:-)

Pérola disse...

A saudade é tatuagem do que se viveu.

beijos

Maria do Sol disse...

Saudade é o mais doloroso de todos os sentimentos....

O afectado do quadril disse...

Janita:
Estou siderado com as coisas lindas que comentas. Pela parte que me toca, o meu agradecimento.

Diana, Pérola e Maria do Sol:
A saudade é essencialmente a memória do coração.

Tétisq disse...

A saudade intensifica a chama o que faz do reencontro um momento especial

Fê blue bird disse...

A saudade arde e fere demais.
Espero que seja breve esse afastamento.

beijinho

A capuccino vermelho disse...

Janita:
És pessoa de muito bom gosto e só poderias gostar de MEC!

Blackbird disse...

Madrid é uma boa escolha :)

Pretty in Pink disse...

A saudade doi, doi muito!

Beijinho*

Ade disse...

A saudade dói mesmo...

Teresa Alves disse...

Saudade... uma palavra que só de pensar em pronunciar, já arde.

Teresa Alves disse...

:(