27 de outubro de 2013

metamorfose

Há sempre (pelo menos) um momento na vida em que a mudança e a viragem se impõem. Já passei por muitas mutações, mas esta é a metamorfose.

                                                Especial.
                                                Singular.
                                                Verdadeira.
                                                Autêntica.
                                                Única.

Quis a vida que este fosse o ano da coragem, lutando pelos meus desejos mais acesos.
Quis a vida que este fosse o ano da força imprescindível, preservando a direcção de sonhos já esquecidos.
Quis a vida que este fosse o ano da energia positiva, mantendo alma hígida e corpo saudável.
Quis a vida que este fosse o ano da confiança em mim própria, rumando à abertura do meu potencial futuro.
Quis a vida que este fosse o ano do auto-conhecimento, desejando mudar tudo na minha vida.
Quis a vida que este fosse o ano do conhecimento e descoberta de alguém, provocando sensações diferentes no meu coração.
Quis a vida que este fosse o ano da atitude renovada, começando uma vida nova.
Quis a vida que este fosse o ano um da (minha) vida.
Quis a vida...


Quis a vida que O afectado do quadril entrasse por ela dentro...
... com o vigor e a pujança de um guerreiro.
Estou a metamorfosear-me!
Qual taturana na crisálida, na esperança de transformação em borboleta...

4 comentários:

O afectado do quadril disse...

Fazendo uma leitura muito simples do teu post, eu diria que talvez a metamorfose sentimental seja uma realidade. Ela existe, sim.

Talvez esteja inserida na dicotomia do amor, ou seja, fazendo-nos rir e chorar ao mesmo tempo, ou em tempos diferentes, mas é um sentimento do qual não abdicamos, por uma simples razão: não há como caracterizá-lo, são sentimentos únicos e inexplicáveis.

A capuccino vermelho disse...

Quis a vida que me consciencializasse dessa bipolaridade do riso e do choro. :')

O afectado do quadril disse...

'Capuccino vermelho' da minha vida, creio que, de bipolar não tens nada. (o teu mal é outro, lol)

Mudanças de humor, todos nós temos. Nunca te vi chorar, nem tão pouco lágrimas (recuso-me a enfrentar esse desiderato), mas asseguro que tens um dos sorrisos mais encantadores do mundo!

Diana disse...

Sem dúvida, Capuccino. Tal como a simplicidade das tuas palavras se torna complexa e tão perfeita!